25 lições que aprendi com 25 anos

Rate this post

Hoje assisti a um vídeo da minha amiga Beca e fiquei com vontade de fazer também. Mas como queria fazer já, preferi escrever, ao invés de gravar, que ia demorar muito mais 😉

25 lições que aprendi com 25 anos

O vídeo em questão é um chamado “24 lições que aprendi com 24 anos“,  e como vocês sabem eu já tenho 25. Portanto minha lista, como vocês já devem imaginar é…

1. Nunca me esquecer das minhas origens, são elas que me mantém com a cabeça no lugar;

2. Uma decisão errada nunca vai parecer errada até que eu a escolha e a vivencie;

3. E falando em escolhas… Todas elas vão me ensinar algo, por pior que tenha sido. Cabe a mim aprender com elas e seguir em frente;

4. Quando eu estiver infeliz, a mudança tem que partir de mim. Caso contrário, a vida se encarrega e é muito mais doloroso;

5. Não se desespere! Nunca. O desespero nunca vai me deixar olhar com clareza e enxergar o que tenho que fazer;

6. Uma coisa ruim nunca acontece isoladamente. É sempre parte de uma fase ruim, onde tudo dá errado, é difícil e doloroso. E depois coisas boas acontecem. Todas juntas, de uma vez.

7. Eu sempre posso dar um ou dois passos pra trás se não estiver gostando do rumo das coisas. Mudar de ideia não é errado, e muito menos ruim;

8. Não existe isso de “ser alguém na vida“. Os símbolos de que a gente “chegou lá” não significam nada se a gente não está, de fato, sentindo que está fazendo algo que valha a pena;

9. Às vezes as pessoas que mais te amam são as que mais te machucam. Não tá certo, não é ok, mas é a vida;

10. E mesmo que elas te amem muito, você tem que impor um limite. De até onde você consegue aguentar, e em que ponto você abre mão;

11. Eu não preciso de um milhão de amigos. Eu só preciso de amigos nos quais eu posso confiar de verdade e que eu sei que vão me amar, me proteger e comemorar minhas alegrias assim como chorar minhas pitangas bebendo umas biritas;

12. Não há porque insistir numa relação (de amizade, de amor…) que não te faz bem. Que não te deixa livre pra ser quem você é e que não consegue ser feliz por você, independente do estado de espírito da pessoa;

13. Viver de aparências é o destino mais triste dessa vida. Não há nada de errado em ser sincera e ter uma vida boa às vezes, ruim em algumas partes, sensacional outras, péssima de vez em quando…

14. Muitas vezes as pessoas vão esperar que você aja da mesma maneira que elas agiriam, pro bem ou pro mal.

15. O tempo, ele é o senhor de tudo. E ele mostra a verdade por trás das pessoas e da vida, faça chuva ou faça sol;

16. A felicidade não é um objetivo, um lugar pra gente chegar. Ela está em momentos, em memórias, em conquistas, em pessoas. Mas nunca em coisas, nunca;

17. É muito fácil abrir mão de tudo o que você acredita em nome de uma vida de prestígio e glamour. E esse é o caminho mais rápido de se conseguir as coisas;

18. Não adianta viver a vida no molde dos outros;

19. Nossos pensamentos não são verdades absolutas. Nós podemos evoluir, mudar e aprender todos os dias, sobre tudo;

20. Ser gentil pode ser visto como interesse, puxa-saquismo e escalada social. Ignore e continue a ser gentil;

21. A reconhecer que sou privilegiada por poder fazer escolhas. A maioria das pessoas não pode “fazer o que ama”, “mudar de ideia” ou “criar suas próprias oportunidades”;

22. A julgar menos. Por escolhas, por aparências, por gostos, por qualquer coisa. Eu não sou melhor do que ninguém. E ainda estou aprendendo;

23. A não ter medo de ser quem eu sou. E a aceitar que eu preciso aprender a lidar com o fato de que eu nunca vou agradar a todo mundo;

24. Que a coisa mais valiosa da vida é a liberdade. De ser, de sentir, de falar, de buscar, de se arrepender, de repensar, de poder tentar, e tentar, e tentar, e tentar. E que nossa liberdade como mulher é limitada e que essa luta vai ser minha pro resto da vida;

25. A tentar ser uma pessoa melhor todos os dias. E reconhecer que eu nunca vou ser 100% boa, que eu tenho meus defeitos, meus dias ruins, minhas questões. E que algumas dessas coisas eu posso melhorar, e que algumas vão me acompanhar pra sempre. Mas tentar sim ser melhor, comigo mesma e com as pessoas ao meu redor, no que eu puder.

25 e meio: Sempre vai ter coisas na minha vida que eu gostaria que fossem diferentes. Não existe vida perfeita. Não existe uma vida pronta, com nada que tirar nem por. Mas reconhecer as coisas boas do aqui, do agora, é a minha resposta pra uma vida boa. Por que focar no que não existe, no que tá faltando, ao invés de celebrar o que há de bom?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *